O que é SEO | Guia Completo para Otimizar o Seu Site

O que é SEO (do inglês Search Engine Optimization) são técnicas de otimização do seu site ou blog, com o objetivo de aparecer nos resultados das pesquisas dos usuários do Google e outros mecanismos de buscas. Para isso, o seu conteúdo deve ser de qualidade e relevante para as pesquisas feitas pelos usuários, considerando uma determinada palavra-chave de pesquisa”

Hoje você vai aprender o que é SEO (Search Engine Optimization) e também como montar uma estratégia de SEO.

Você sabia que todos os dias milhares de novos blogs são lançados e milhares de artigos publicados?

A internet recebe um mar de informação e o Google tem como missão mostrar para as pessoas as melhores publicações de cada tema.

E é por isso que você precisa entender o que é SEO e como aplicá-lo em sua estratégia.

O Google trabalha com um sistema de palavras-chave.

Assim, para cada pesquisa, o sistema de algoritmos do Google vai buscar mostrar para o usuário os melhores sites e blogs que irão atender exatamente aquilo que foi pesquisado.

Entender o que é SEO e como usá-lo da melhor forma vai fazer com o seu artigo seja a resposta que o usuário procura, posicionando-o nas primeiras páginas do Google.

Assim, você recebe visitantes no seu site que querem saber exatamente do assunto do seu conteúdo publicado.

As estratégias de SEO irão te ajudar a gerar muitas oportunidades de negócios.

Mas, calma… Eu sei que pode parecer muito confuso, mas no decorrer do artigo você vai entender o que é SEO e vai aprender como utilizá-lo em seu negócio.

Vai aprender como usar e vai saber como posicionar os artigos do seu blog nas primeiras posições do Google.

Mas, antes de entrarmos em mais detalhes sobre o que é SEO, vamos entender o que é essa estratégia e como o Google funciona.

O que é SEO (Search Engine Optimization)

O que é SEO

O Google possui um sistema de algoritmos que monitora a internet 24 horas por dia.

O objetivo do Google, com esse sistema, é entregar para os seus usuários o melhor conteúdo sobre o assunto pesquisado.

E ele faz isso por um sistema de palavras-chave, que são as pesquisas que as pessoas fazem.

  1. Usuário vai ao Google e pesquisa: “como trabalhar em casa”.
  2. A primeira página vai mostrar os 10 primeiros resultados, que é chamado de SERP, que é um ranking de posicionamento. Esses 10 resultados são os que mais recebem cliques. Quanto melhor sua posição no ranking mais cliques e mais pessoas estão visitando o seu site ou blog.
  3. Para montar a SERP, o Google avalia uma série de fatores, como a qualidade do conteúdo, a relevância da palavra-chave, a autoridade do site, os backlinks e centenas de outros.
  4. Muitos desses pontos que o Google analisa podem ser melhorados com técnicas específicas.
  5. Posicionar no Google é o principal motivo para que você entenda o que é SEO.

SEO são técnicas de otimização do seu site ou blog, para que o Google entenda que o seu conteúdo é bom e mostre os resultados para os usuários, levando em conta as buscas de uma determinada palavra-chave.

SEO é o que você precisa fazer para que seu artigo seja bem ranqueado no Google.

Assim, seu blog recebe visitantes, você captura leads e realiza mais vendas.

Com técnicas de SEO, você vai trazer pessoas até o seu blog, porém, você precisa entender como ganhar dinheiro com o seu blog.

O SEO é com certeza uma das melhores estratégias de marketing digital, pois uma vez que foi feito o investimento inicial e o blog for posicionado, o retorno tende a ser muito positivo.

Neste caso, você não precisa investir tanto no Google Ads, pois você já vai estar posicionado no Google.

A evolução do SEO

O primeiro mecanismo de busca da internet foi o Architext, no ano de 1993 e, depois, tornou-se o Excite.

Depois do sucesso do Excite, começaram a aparecer buscadores parecidos com ele.

Entre os buscadores que surgiram nessa época, estão o Yahoo e o Google, respectivamente nos anos de 1994 e 1997, para ser mais exato.

O Google foi criado por Larry Page e Sergey Brin, com o intuito de fazer dele uma ferramenta de busca de grande proporção e deixar essas buscas mais organizadas, através do uso da estrutura de links para determinar o grau de relevância dos sites para entregar os resultados que os usuários procuram.

A inspiração para isso surgiu dos artigos e pesquisas científicas das universidades.

Isso porque, os artigos e pesquisas que recebe citações de outros autores de artigos e pesquisas ou de revistas científicas, são considerados no meio acadêmico como os mais confiáveis, ou seja, cria uma reputação positiva.

Por esse motivo, Larry Page desenvolveu o Pagerank, que é uma métrica com escala de 0 a 10 e que calcula a quantidade e a qualidade dos links recebidos.

Por causa desse revolucionário mecanismo de busca, o Google foi considerado o principal site de buscas no “Top 100 Web Sites”, da revista PC Magazine, em 1997.

Além disso, a revista também escreveu que o Google “tem uma capacidade de retornar resultados extremamente relevantes”.

O termo SEO (Search Engine Optimization) foi citado pela primeira vez nesse mesmo ano (1997), por Bob Heyman, Leland Harden e Rick Bruner, no livro “Net Results”.

De acordo com os autores, o termo SEO surgiu a partir de uma conversa sobre o posicionamento do site da banda de Jefferson Starship nos resultados dos sites de buscas.

Eles perceberam que quando utilizaram o nome da banda mais vezes no conteúdo do site, como palavra-chave, o site retornou à primeira posição nos resultados de busca.

A partir daí chamaram essa nova técnica de Search Engine Optimization (SEO).

Nessa época, as estratégias de SEO eram apenas enviar o site para os buscadores e fazer otimização da página, como por exemplo, repetir várias vezes a palavra-chave no decorrer do conteúdo.

Depois que o Google se popularizou, os profissionais de SEO perceberam a importância de metrificar os links.

Foi a partir daí que as estratégias de link building surgiram, com técnicas confiáveis e autênticas para obter links, como também surgiram técnicas que visam apenas uma boa avaliação do site, sem se importarem com a qualidade do conteúdo oferecido.

São técnicas que manipulam os mecanismos apenas para ranquear.

Essas técnicas são conhecidas como Black Hat SEO.

No ano de 2000 foi lançada a ferramenta Google Toolbar para Internet Explorer, apresentando o Pagerank dos sites, com escala de 0 a 10.

Foi a partir daí que as técnicas de link building se popularizaram e ficaram mais fáceis de serem mensuradas.

Ainda no ano 2000, foi lançado o Google AdWords, com resultados patrocinados, que aparecem junto aos resultados orgânicos.

No ano de 2003 foi lançada a primeira grande atualização do algoritmo do Google, que foi chamado de Florida e que mudou radicalmente o SEO até hoje.

O Flórida era um filtro aplicado nas pesquisas e os anúncios eram identificados através das palavras-chave utilizadas.

O algoritmo funcionava “excluindo” dos resultados muitos sites que, antes, apareciam no ranking.

O alvo dessa “limpa” eram sites afiliados, que possuíam domínios com palavras-chave que “denunciavam” que eram sites comerciais e que, além disso, também possuíam links apontando para a página inicial desses sites.

Na época em que essa atualização foi lançada, os donos desses sites ficaram indignados, pois essa estratégia, até então, era o que mais gerava tráfego e vendas para os seus sites.

Mas, mesmo com toda essa revolta, os resultados dessa atualização foram bem positivos, pois, depois dela, começaram a surgir sites com mais qualidade e os donos de sites comerciais passaram a investir mais em seus sites, o que contribuiu para melhorar o posicionamento.

Depois disso, o Google lançou outras atualizações, para, dessa forma, diminuir os resultados de sites que continham estratégias obscuras, melhorando cada vez mais a qualidade das respostas que os usuários obtinham.

Em cada atualização que o Google lança, surgem também burburinhos sobre o fim do SEO.

Mas, a otimização de sites para mecanismos de busca é focada em entregar melhor resposta que o usuário busca.

A otimização é feita para oferecer a melhor experiência para o usuário, dentro do site, respeitando as regras impostas pelo Google.

Hoje o Google é o buscador mais popular no mundo todo, por isso, você vai encontrar mais informações sobre ele mais adiante.

Estratégia de SEO – Como ranquear no Google

Estratégia de SEO

Neste mecanismo, os resultados das buscas são divididos em dois grupos distintos: resultados orgânicos e resultados pagos.

Os resultados provenientes de anúncios pagos são mostrados no topo de cada página, sinalizados abaixo do link, com o texto “anúncio” em verde.

Logo em seguida vem os resultados orgânicos.

A posição dos resultados é definida pelos robôs do Google, que atuam como rastreadores que avaliam dados como nível de relevância dos conteúdos e autoridade da página e, em poucos segundos, organizam e mostram os resultados aos usuários.

Eles entendem que devem priorizar páginas que possam oferecer a melhor experiência e maior qualidade ao usuário e que possua o conteúdo mais completo para responder o  questionamento ou suprir a necessidade de quem realizou a busca.

Mas, esses robôs não visualizam javascript e imagens, como nós, leitores, somente textos e códigos.

Por isso, é essencial trabalhar texto alternativo (alt text) em cada uma das imagens, inserindo descrições completas para auxiliar os robôs a compreenderem do que se trata.

E também, explorar as técnicas de otimização do site.

O que é o Google Bot e como ele funciona

“Bot” é uma palavra inglesa que significa “robô”, ou seja, o bot é uma espécie de robô que o Google utiliza para rastrear os sites, entrar nos links e descobrir tudo que as páginas da internet estão oferecendo aos usuários.

É através desse “rastreamento” que o Google organiza os resultados das buscas quando um usuário faz uma pesquisa.

É assim que o Google faz para oferecer os melhores resultados para os seus usuários.

Esse mecanismo do Google facilita a vida do usuário, pois quando ele busca por um termo, não precisa perder tempo procurando página por página.

O Google já mostra os melhores resultados, na ordem de relevância para você.

O bot do Google organiza os resultados das buscas, ajudando o usuário a encontrar os resultados dos conteúdos mais completos e de qualidade, como a melhor resposta para a dúvida de quem fez a busca.

Como um site é visto pelo Google e o que não dá para ser visto

Os mecanismos do Google não vê um site do mesmo jeito que nós seres humanos vemos.

Para começo de conversa, os mecanismos do Google enxergam um site como textos e códigos e não consegue visualizar imagens e javascript.

É por este motivo que, ao criarmos um site ou um blog, precisamos nos atentar na hora de estruturá-lo ou adicionar uma imagem ao conteúdo, acrescentar um texto alternativo (alt text) em cada imagem.

Basta acrescentar uma descrição às imagens, para que os mecanismos do Google possam ler e entender sobre qual assunto a sua imagem se refere.

O uso do alt text é extremamente importante, pois, sem ele, a sua imagem vai aparecer para os mecanismos do Google como um espaço vazio no meio do texto.

E, convenhamos, isso é terrível para a sua estratégia de SEO e ranqueamento do seu site ou blog.

Isso porque, sem o alt text, esse espaço em branco vai fazer o bot do Google entender que o seu conteúdo não é relevante para o usuário que fez a pesquisa, o que faz com que o seu site ou blog não fique nas melhores posições nos resultados das buscas.

Principais fatores no ranking do Google

Atualmente, são mais de 200 fatores com influência direta no rankeamento de uma página.

Aqui vamos listar alguns fatores básicos, que merecem atenção no seu planejamento de SEO. Confira:

Fatores On Page (trabalhados dentro do próprio site)

  • Qualidade do conteúdo;
  • Tamanho do conteúdo;
  • Título interno;
  • SEO Title;
  • URLs amigáveis;
  • Heading Tags;
  • LSI: o uso da palavra-chave;
  • Tempo de permanência na página;
  • Otimização de imagens para SEO;
  • Tamanho da imagem;
  • Linkagem interna;
  • Design Responsivo;
  • Tempo de carregamento;
  • Meta Description;
  • Botões de Compartilhamento.

 Fatores Off Page (externos ao site)

  • Link Building;
  • Autoridade;
  • Localidade;
  • Engajamento nas redes sociais.

No decorrer do artigo, vamos explicar em detalhes cada um deles.

Como Escolher a Palavra-chave

O ponto de partida para fazer um bom SEO é a definição da palavra-chave:

A palavra-chave pode ser de:

  • Cauda curta Exemplo: Emagrecer.
  • Cauda média Exemplo: Como emagrecer em casa.
  • Cauda longa Exemplo: Como emagrecer com exercícios para serem feitos em casa.

Nossa estratégia é feita em cima de palavras de cauda média, porque, quando fazemos isso, acabamos ranqueando para palavras de cauda longa e curta.

E isso acontece porque trabalhamos nos tópicos dos artigos essas palavras de cauda média.

Você pode fazer o mesmo e, para isso, você precisa pesquisar por essas palavras-chave no Google.

Não existe um número certo de pesquisas para determinar se vale a pena ou não escrever um artigo.

É preciso avaliar conforme o nicho, estratégia, etc.

Mas, considere escolher uma palavra-chave que tenha pelo menos 100 pesquisas mensais.

Avalie também as palavras-chave relacionadas, pois elas também ajudarão no posicionamento do seu artigo.

Considere o somatório de pesquisas entre palavras-chave e palavras-chave relacionadas.

Bom, você pode estar pensando: “100 pesquisas é muito pouco e, mesmo que meu artigo esteja na primeira página, vou receber poucos cliques.”

O segredo aqui é ter muitos artigos baseados em várias palavras-chaves, pois, dessa forma, ao somar todos os seus artigos bem posicionados, você receberá uma enxurrada de tráfego.

Temos buscado melhorar o SEO de todos os artigos, assim, vamos recebendo tráfego de centenas de pesquisas que são feitas no Google.

Para que você possa escolher a palavra-chave, use a ferramenta: UbberSuggest.

Basta mudar para opção “Brasil”, colocar a palavra-chave e pesquisar.

A ferramenta vai te mostrar a quantidade de pesquisas, palavras-chave relacionadas e a SERP do Google.

A ferramenta permite o uso gratuito.

E isso é um ponto extremamente bom, pois é gratuita e tem dados altamente precisos, além de fazer uma análise da palavra-chave em si.

Faça diversas pesquises e monte um roteiro para os seus artigos.

Caso você use um redator freelance, ficará mais fácil para solicitar os artigos que você quer ranquear.

Para te ajudar a entender melhor estes dados, os pontos a seguir do artigo são muito importantes.

Isso vai te ajudar a entender como funcionam as buscas no Google.

Psicologia da busca – Como ela funciona

A psicologia da busca funciona focada nas necessidades do usuário, em como ele realiza a busca, em como ele deseja encontrar o resultado que traga a resposta que ele quer.

Ou seja, o usuário deseja e busca encontrar a melhor resposta para sua dúvida ou necessidade, e cabe a você, através do seu conteúdo, entregar exatamente isso para ele.

Como profissional de marketing digital, você precisa oferecer a melhor resposta para as dúvidas e suprir as necessidades dos usuários que fazem a busca no Google.

Para que isso aconteça, você precisa se colocar no lugar do usuário e entender o que ele quer encontrar ao realizar aquela busca.

Ou seja, para você compreender o que o usuário deseja encontrar através de uma pesquisa no Google, é necessário identificar sua intenção de busca.

Entender a intenção de busca do usuário é um passo muito importante para conseguir atrair o público-alvo para o seu site ou blog.

Há 3 tipos de buscas no Google, e é isso que você vai ver a seguir.

SEO: 3 tipos de buscas no Google

Os resultados dos mecanismos de busca são direcionados às necessidades dos usuários, à maneira como eles fazem as buscas e ao que eles esperam como resultado.

E, para você compreender essa forma como o usuário faz suas buscas, você precisa compreender qual é a intenção que ele tinha quando digitou determinado termo.

Saber qual a intenção dos usuários ao fazer uma pesquisa no Google vai te ajudar a criar estratégias para atrair as pessoas certas para o seu blog.

Os 3 tipos de buscas são:

• Busca direta;

• Busca informativa;

• Busca comercial.

Busca direta

É a pesquisa que o usuário faz quando já sabe exatamente qual site vai acessar, mas que não lembra da URL ou simplesmente acha mais fácil digitar o nome do blog e espera aparecer o link nos resultados.

Por exemplo: O Portal do Aluno em vez de http://oportaldoaluno.com/.

Busca informativa

É a pesquisa que o usuário faz para obter informações sobre algum assunto, através de artigos, notícias, etc.

Enquanto na busca direta o usuário sabe qual site está querendo encontrar, na busca informativa o usuário procura por um assunto, mas não sabe exatamente em qual site vai encontrar o que deseja e essa busca não fica muito clara para os mecanismos de busca.

Então, se o seu site está bem posicionado no Google, ele vai aparecer como resultado para os usuários que fizerem esse tipo de busca.

Caso contrário, o usuário tende a buscar resultados orgânicos para resolver o seu problema e não é isso que você quer, não é mesmo?Por isso que é essencial otimizar o seu site para ficar bem posicionado no Google.

Busca comercial

É a pesquisa em que o usuário procura realizar algum tipo de transação online, seja para comprar um produto ou para encontrar uma loja específica.

Por isso, se o seu site for um e-commerce, trabalhe o seu SEO, pois a busca comercial é voltada para esse tipo de negócio.

Tipos de busca no SEO

Análise da página de resultados do Google para a palavra-chave principal.

Mesmo tendo diversas palavras-chaves para conseguir otimizar o conteúdo, sempre haverá uma palavra-chave principal mais valiosa por causa do seu volume de busca.

Muitas estratégias de SEO estão focadas na palavra-chave de cauda longa, mas, mesmo assim, o uso da palavra-chave principal continua sendo mais relevante.

E, justamente por causa do seu volume de buscas, a palavra-chave principal pode influenciar ainda mais no seu posicionamento nos resultados de buscas.

Análise de concorrência

Conheça bem a sua concorrência antes de montar o seu planejamento de estratégia.

Quando você conhece bem como trabalha a sua concorrência, tem mais segurança para criar as suas próprias estratégias com mais assertividade.

Quando uma SERP é analisada, são avaliadas as métricas gerais dos 10 primeiros resultados, mas se a palavra-chave for muito concorrida, é feita uma análise bem mais profunda dos 3 primeiros resultados do ranking.

Você pode analisar as 10 primeiras posições usando ferramentas como ahrefsMoz e o UberSuggest.

Análise da Palavra-Chave no SEO

Acompanhamento

Para analisar se as suas estratégias de SEO estão dando certo é necessário fazer um acompanhamento de suas ações.

Acompanhe todas as métricas e faça comparações por períodos para verificar como está o andamento do seu negócio.

Defina uma data em todos os meses para comparar e avaliar o posicionamento dos seus artigos no Google.

Faça sempre revisões periódicas e mantenha os seus artigos atualizados.

Para isso, você pode relançar artigos antigos, após atualizá-los, basta mudar a data do seu artigo, mas lembre-se de não alterar a url do post.

SEO On Page x SEO Off Page

Principais fatores de ranqueamento no Google

As técnicas de SEO se dividem em SEO On Page e SEO Off Page.

SEO On Page são técnicas que você aplica internamente na escrita do seu artigo e nas configurações do seu site.

Essas técnicas precisam ser muito bem-feitas, pois estão todas em suas mãos.

Já o SEO Off Page são técnicas fora do seu site e consiste basicamente na criação de links para o seu blog.

E porque é necessário ter links de outros sites apontando para o seu blog?

Lembra que eu disse que o Google analisa a autoridade do seu site, a qualidade do conteúdo, entre outros fatores?

Então, ter links apontando para o seu blog é como se tivessem pessoas indicando o seu conteúdo como bom.

Imagine um livro. Quanto mais pessoas recomendarem esse livro, mais outras pessoas vão entender que o livro é bom.

Para o Google, um link de um site indicando outro site é como se fosse uma recomendação.

Assim, quanto mais links, mais recomendações e o Google entende que aquele site tem um conteúdo bom, melhorando o seu posicionamento.

Não adianta saber o que é SEO sem um bom conteúdo

Imagino que você esteja animado para fazer o SEO do seu blog, certo?

É realmente algo que você deve dar atenção.

Você precisa fazer uma pesquisa de palavra-chave bem-feita, mas de nada vai adiantar você realizar uma excelente pesquisa, encontrar as melhores palavras-chave e não entregar um conteúdo de qualidade.

Em 1996 Bill Gates disse: “O conteúdo é rei”.

Conteúdo é o que faz diferença na internet.

Mesmo que o seu site esteja na primeira página do Google, se ele não atender às expectativas do público-alvo, não terá função alguma para você.

Para o Google, cada usuário do sistema de pesquisas é um cliente e a melhor maneira dele satisfazer seus clientes é oferecendo um conteúdo que atenda às pesquisas dos usuários.

Esse é o segredo do sucesso do Google, pois ele sempre busca entregar o conteúdo que vai trazer a melhor experiência que o usuário do Google pode ter.

Muitos “especialistas” em SEO dizem que o conteúdo não é tão relevante. Eu discordo totalmente.

Eu sempre disse e sempre continuarei dizendo e ensinando aos meus alunos que a melhor estratégia de SEO é produzir um ótimo conteúdo.

Você pode saber o que é SEO nos mínimos detalhes, mas sem um ótimo conteúdo, simplesmente não adianta.

Reitero a importância disso e espero, de verdade, que você acredite em mim.

Guia de SEO On Page

Após a definição da sua palavra-chave, é hora de fazer o SEO On Page.

Agora que já sabemos o que é SEO On Page, vamos direto à parte prática.

Fatores de ranqueamento do Google

Existem diversos fatores que interferem o rankeamento de um site, sejam On Page ou Off Page.

Como você já sabe, no SEO On Page, os fatores de rankeamento são trabalhados dentro da própria página, para que o conteúdo do seu blog apareça nos mecanismos de busca como resultado da pesquisa que os usuários fazem.

Veja a seguir alguns desses fatores:

Instalação do Plugin Yoast SEO

Caso o seu blog ainda não tenha esse plugin, instalar o Yoast SEO é a primeira coisa a ser feita.

Eu considero como sendo o melhor plugin para SEO On Page.

Repetição da Palavra-chave no texto

Repita a palavra-chave de 2% a 3% do texto todo.

Por exemplo, se o seu texto tem mil palavras, repita de 20 a 30 vezes.

Nesse artigo, estou trabalhando com a palavra-chave “o que é SEO”, no decorrer do artigo, estou repetindo-a, mas tem que fazer isso de forma natural.

Não pode forçar a repetição, tem que fazer isso de forma que o texto fique coerente.

Palavras-chave relacionadas e uso de sinônimos (LSI)

As palavras-chave relacionadas devem ser “espalhadas” pelo seu texto.

Elas vão complementar a relevância, fortalecendo assim o SEO On Page do seu artigo.

Para descobrir palavras-chave relacionadas, faça pesquisa no Google da palavra-chave principal, pois o próprio Google mostra as palavras que ele considera como palavras-chave relacionadas.

Você também pode usar essas pesquisas relacionadas para criar tópicos nos seus artigos.

Título do Artigo

O título do seu artigo precisa ter a palavra-chave.

Você pode definir dois títulos: o do artigo, colocado direto no WordPress e o do Google, que você informa no final do artigo no campo do Plugin Yoast SEO.

O título para o Google deve ter no máximo 58 caracteres.

Subtítulos

Organize o seu texto fazendo uso dos subtítulos.

Coloque no máximo 300 palavras entre os subtítulos.

Uma sugestão que eu te dou é fazer, no H2, subtítulos com a palavra-chave e nos subtítulos H3, com as palavras-chave relacionadas.

Url

A Url é o link específico de cada artigo no seu blog.

Para criar a url ideal, você precisa de duas coisas: que a palavra-chave esteja na url e que a url seja relativamente curta.

Links Internos

Se você costuma ler os artigos aqui no Portal do Aluno, já percebeu que sempre estamos indicando outros artigos nossos.

Isto tem 3 motivos:

1- Indicar conteúdo de qualidade;

2- Aumentar o tempo que o visitante fica em nosso blog;

3- E também por questões de SEO.

O processo de linkagem interna é levado em conta pelo Google na hora de ranquear.

Quantidade de palavras (tamanho do artigo)

Faça artigos com no mínimo 1200 palavras.

Aqui no Blog trabalhamos com artigos de 2000 a 10000 palavras.

Recentemente saiu uma pesquisa, que os artigos que estão ranqueados tem uma média de 2000 palavras.

Então considere usar esta quantidade de palavras em seus artigos para sair na frente.

Tempo de permanência na página

Um dos fatores que podem impactar o ranqueamento do seu site é o tempo em que o usuário permanece em sua página.

Quanto mais tempo o usuário permanecer em sua página mais o Google reconhece o seu conteúdo como sendo um conteúdo de qualidade.

Deixe o seu conteúdo bastante atrativo, para que o usuário se interesse cada vez pelo que está lendo e não saia rapidamente da página do seu blog.

Imagens otimizadas

Sempre que você for utilizar uma imagem em seu conteúdo, procure escrever o nome do artigo contendo a palavra-chave.

Você também pode acrescentar um texto alternativo (alt text).

Atente-se ao tamanho da imagem, pois imagens pesadas podem dificultar o carregamento, o que pode prejudicar o ranqueamento do seu site ou blog.

Design responsivo

Quando vai definir a indexação das páginas, o Google dá prioridade a sites que possuam um design responsivo, ou seja,  que seja acessível a todos os dispositivos, como computadores, celulares e tablets.

Um design responsivo vai abrir completamente o conteúdo e as imagens do seu site ou blog, facilitando a leitura e a navegação, independentemente do tamanho da tela.

Portanto, escolha um design responsivo para o seu blog, para que seja um fator a mais de ranqueamento no Google.

Velocidade de carregamento

Cada vez mais apressado, o público quer tudo para ontem e em relação ao acesso à informações na internet não seria diferente.

Para que o usuário permaneça em sua página, ela deve ter um carregamento rápido, em pouquíssimos segundos, para que o usuário não saia e clique na página da concorrência.

A velocidade do carregamento também é outro fator que o Google leva em consideração na hora de posicionar as páginas nos resultados de busca dos usuários.

Se a sua página demorar a carregar, os usuários não permanecem nela e, com a repetição dessa ação, o algoritmo do Google vai entender que o seu conteúdo é ruim, deixando de ranquear bem o seu blog.

Para medir a velocidade de carregamento, use o GT Metrix e o PageSpeed.

Botões de compartilhamento

Embora não seja um fator de ranqueamento do Google, os botões de compartilhamento e a meta descrição são essenciais para conseguir otimizar as páginas do seu blog.

Isso porque, os botões de compartilhamento bem localizados em sua página e a meta descrição bem-feita irão melhorar a experiência do usuário e, a partir disso, as ações que os usuários tomarem influenciarão sim no posicionamento da sua página.

Meta Descrição

Você também preenche no final do artigo no Yoast SEO.

É uma pequena descrição do seu artigo e deve conter a palavra-chave.

Indexação

É quando seu artigo já aparece indexado no Google.

A indexação não quer dizer que ele já estará aparecendo nas pesquisas do Google, mas poderá ser encontrado.

Para verificar se o seu artigo está indexado pesquise no Googe:

“site:seusite.com/seu-aritgo”

SEO-On-Page

Guia de SEO Off Page

O SEO Off Page pode ser resumido na criação de links que vão apontar para o seu site. Esses links são chamados de Backlinks.

Lembra do exemplo de recomendações do livro que eu citei lá no início?

Então, para conseguir essas recomendações de forma natural, na maioria das vezes é um processo demorado.

As técnicas para conseguir links de forma natural são chamadas de SEO White Hat.

Por outro lado, para acelerar o processo é possível criar recomendações artificiais e isso é feito através de técnicas de SEO Black Hat.

Mas atenção! O Google simplesmente não gosta da criação de links artificiais, pois ele entende que isso é uma manipulação de links.

O que é um Backlink

Um backlink é um link em um texto de outro site que aponta para o seu site.

Suponha que o site xyz.com esteja falando sobre blogs, e ao falar de SEO, coloca um link para este artigo por ser um guia completo de SEO.

Isso é o que chamamos de Backlink.

Os backlinks que surtem efeito para ranquear no Google, seguem o padrão do exemplo acima, são contextuais e tem relação entre os conteúdos.

De pouco serviria para um site ou blog de marketing digital, um link em um site de emagrecimento, pois não tem relação entre os conteúdos, o que não faria sentido criar links.

Link Building

O link building é o responsável por garantir que a sua página se destaque como relevante e popular para o Google, pois ele funciona para outros sites apontarem o seu, indicando o seu conteúdo como uma referência de qualidade naquele assunto.

Podemos dizer que o link building é o processo de construção de links para o seu site, seguindo os critérios que eu disse no tópico sobre backlinks.

Os mecanismos de busca “enxergam” os backlinks como indicações e usam isso para medir a relevância do seu blog.

Então, quanto mais backlinks  apontando para o seu blog, mais relevante ele será para o Google.

E quanto mais relevante for o site que apontou para o seu, mais relevante o seu blog vai se tornar, entendeu?

Porém, é necessário que os sites que apontem para o seu conteúdo pertençam ao mesmo nicho, pois, se for de nichos que nada tenham a ver com o seu conteúdo, o link não será muito relevante para os mecanismos do Google.

Links Sociais

Crie contas em todas as redes sociais e publique seus conteúdos. Isso vai aumentar os sinais sociais.

Troca de Links

Buscar parcerias para troca de links é uma excelente alternativa para conseguir backlinks.

Nós usamos a estratégia de troca de links aqui no blog.

Porém, é importante que a troca seja contextual, que o link realmente sirva de referência no artigo.

Alguns dizem que é uma “técnica perigosa”, mas segundo a ahrefs, é uma prática normal e que não causa nenhuma penalidade.

Comentários

Você visitar blogs e deixar comentários é um processo natural.

Apesar de não serem muito efetivos para ranquear, ajudam na composição de links e no engajamento.

Pesquisas

Apesar de não ser uma tarefa tão simples, acrescentar dados de pesquisas de sites confiáveis faz do seu blog uma referência para outros blogs (o que pode gerar links indicando o seu conteúdo), além de passar uma imagem de credibilidade e profissionalismo e, é claro, melhorar o seu SEO.

Guest Posts

Um pouco mais complicado de conseguir, mas é possível encontrar pessoas que cedem espaço no seu blog para publicação de artigos como convidado.

O segredo aqui é oferecer um conteúdo incrível.

Posts Patrocinados

Os Posts Patrocinados é uma estratégia parecida com a do Guest Post, porém, nesse caso, você paga para publicar seu artigo em outro blog.

Claro, você deve colocar links para o seu blog.

Sempre tenha em mente que esses links precisam ser contextuais.

O conteúdo linkado precisa, de fato, ajudar o leitor a entender mais sobre o assunto.

Veja, por exemplo, os links aqui deste artigo, são referências de conteúdo.

Entrevistas com especialistas no assunto abordado

Entrevistas com especialistas no tema que você está abordando no conteúdo traz bastante relevância para o seu blog.

Essa prática pode gerar link do próprio especialista que está sendo entrevistado e demonstra que o seu conteúdo é de alta qualidade.

A dica aqui é enviar o link da entrevista para o especialista, agradecendo a colaboração dele e solicitando o compartilhamento (o que geralmente nem é necessário, pois provavelmente ele irá compartilhar o link com o conteúdo em suas redes sociais ou/e site).

Web 2.0

Sabe aqueles blogs do Blogspot, WordPress, Tumblr, etc.?

Esses blogs compõem o que é chamado de Web 2.0.

São blogs gratuitos que você pode construir para te ajudar na criação de links para o seu blog.

E a grande vantagem é exatamente essa: são gratuitos.

Exemplos de Web 2.0

PBN – Rede Privada de Blogs

Essa é uma estratégia mais avançada, mas com um potencial enorme!

Anteriormente eu falei sobre a qualidade dos sites que indicam o seu através dos links.

Conseguir com que esses sites façam isso é um processo difícil, pode ser demorado ou caro, muitas vezes tendo que pagar para ter esses links em posts patrocinados.

E aí inventaram uma solução.

Por que não criar o próprio site de qualidade para gerar os links?

Quando compramos um domínio temos a propriedade dele por um período de pelo menos um ano e, para mantê-lo, é preciso renovar a propriedade todos os anos.

Acontece que todos os dias milhares de domínios ficam expirados, pois seus proprietários não fazem a renovação e, muitos desses domínios são de alta qualidade.

Esses domínios são capazes de gerar links de altíssima qualidade para alavancar sua posição no ranking do Google.

Essa é a grande vantagem de se fazer PBN´s.

Esses blogs, que são construídos com domínios expirados, são chamados de PBN´s, que significa Rede Privada de Blogs.

São blogs seus, onde você terá todo o controle das publicações e da criação de links.

E é aí que você precisa ter cuidado para não cometer exageros, pois se o Google perceber que você está manipulando links, seu trabalho pode ir por água abaixo.

Está aí o segredo é fazer da forma mais natural possível.

Existem diversas formas de encontrar esses domínios expirados.

Uma vez que você faça o registro de um domínio desse tipo, basta criar o site no WordPress da mesma forma que você criou o seu site ou blog principal.

Mas atenção! Não crie sites só pra criar links, crie estes sites da melhor forma possível, com conteúdo de qualidade e também focado em posicionar.

Dessa forma, os backlinks tem muito mais valor, e você não corre riscos, pois são sites reais com conteúdo de qualidade e que estão ranqueando no Google.

Essas técnicas são recomendadas quando pensamos em um negócio de longo prazo, pois os resultados são mais demorados.

Dessa forma, eu recomendo para criação de um projeto completo, pensando no longo prazo.

SEO-Off-Page

Reconheço que todo o processo de SEO é um pouco trabalhoso, mas é extremamente necessário para conseguir conquistar as melhores posições no Google.

Quanto mais blogs desse tipo você criar, melhor será para o seu negócio.

Eu reconheço que dá trabalho e costumo falar que trabalhar na internet é possível, rentável, acessível e, na maioria das vezes, as estratégias são fáceis de serem aplicadas.

Com tudo isso, uma coisa é verdade: dá trabalho!

Quem, de fato, tem sucesso na internet e consegue ganhar dinheiro é quem trabalha com muita dedicação.

Muitas pessoas se frustram ao tentar ganhar dinheiro na internet por estarem buscando um caminho fácil e sem erros. Isso simplesmente não existe!

Quando estoura um caso de pirâmide financeira, eu fico perplexo com a quantidade de pessoas que caem nelas.

Mas isso sempre acontece com pessoas que estão em busca de dinheiro fácil.

Ganhar dinheiro na internet é possível para quem quer realmente trabalhar!

SEO nas Redes Sociais

SEO nas Redes Sociais

Outro fator que influencia o posicionamento do seu site em relação a SEO Off Page é o engajamento do público com o seu conteúdo nas redes sociais.

O algoritmo do Google percebe o engajamento do público com o seu conteúdo e também usa isso como fator de rankeamento do seu blog.

Quanto mais engajado o público estiver, mais autoridade você ganha e mais bem-posicionado você ficará na indexação do Google, pois ele entende que, se o público está engajado, é porque o seu conteúdo é relevante.

E quanto mais pessoas estiverem engajadas, mais o Google vai “querer oferecer” o seu conteúdo, pois o Google quer sempre oferecer o melhor conteúdo para os seus usuários.

Esse processo é bem simples: Engajamento nas redes sociais levam pessoas para o seu site e, quanto mais pessoas visitarem o seu site, melhor ele ranqueia no Google.

SEO local

Se você possui um negócio físico e usa o marketing digital para atrair mais clientes, você pode utilizar as estratégias de SEO local.

O principal objetivo do Google é oferecer ao seu usuário o melhor resultado para a busca que ele fez.

O Google posiciona melhor os negócios locais quando junta a pesquisa feita pelo usuário com os resultados do Google Maps.

Os usuários estão acessando cada vez mais a partir de dispositivos móveis e, portanto, estão buscando um local mais próximo à sua localização atual.

Isso porque, como já falei, o Google quer oferecer o melhor resultado para o seu usuário.

Portanto, se o seu negócio for um restaurante, um salão de beleza, um escritório ou qualquer outro negócio físico, em que os clientes vão até você, sem dúvida vale a pena investir em SEO local.

E, para trabalhar o SEO do seu site para que os mecanismos de busca do Google indiquem o seu negócio, você precisa, em primeiro lugar, disponibilizar a sua localização.

Então, o que você precisa fazer é basicamente divulgar o endereço e o telefone do seu negócio na primeira página do seu site, em um lugar estratégico.

E, para que o seu site apareça no Google Maps toda vez que um usuário fizer uma busca por algum termo relacionado ao seu negócio, você pode utilizar o Google Meu Negócio.

Faça um cadastro no Google Meu Negócio para que as pessoas encontrem o endereço e o telefone do seu negócio com facilidade quando fizerem uma busca.

Além disso, os usuários também podem deixar avaliações, comentários e pontuar o atendimento.

Isso tem um grande poder de influência sobre outros usuários e pode ser uma ótima propaganda do seu negócio.

O que é SEO para dispositivos móveis

SEO dispositivos móveis

Mais de 50 % das buscas registradas aqui no Brasil são feitas através de dispositivos móveis e, pensando nessa informação, o SEO para dispositivos móveis surgiu com o intuito de garantir uma boa experiência para esses usuários.

Você pode usar o SEO pra dispositivos móveis utilizando um design responsivo, de acordo com a largura do dispositivo utilizado, exibindo o conteúdo completamente, sem distorções e ajustado à tela, uma boa resolução para que o usuário possa ter uma experiência de qualidade, como se estivesse acessando pelo desktop.

O que é SEO para Mini Sites

Os mini sites se tornaram um instrumento poderoso de vendas como afiliado.

SEO para mini sites

Se você tem um negócio online, eles são perfeitos para fazer o complemento e garantir que você realize vendas diárias.

O SEO é a principal fonte de geração de tráfego para mini sites.

Por isso, a importância de saber o que é SEO para o sucesso dos mini sites.

Bônus: 7 Passos para Planejar e Executar uma Estratégia de SEO

Para planejar e executar uma estratégia de SEO em seu blog e gerar tráfego orgânico e de qualidade, primeiramente o seu conteúdo deve ser relevante para um determinado grupo de pessoas.

A questão agora é saber como fazer com que essas pessoas encontrem o seu conteúdo.

Primeira página do Google. Essa é a posições mais desejadas da atualidade!

Mas, com a concorrência cada vez mais acirrada, uma dúvida que paira no ar é: Como garantir este posicionamento?

E o mais importante, como permanecer nele?

Podemos adiantar que a resposta está em planejar e executar uma estratégia de SEO.

SEO – Search Engine Optimization, que em português significa Otimização para Mecanismos de Busca – é um grupo de ações que visa otimizar sites, páginas na web e blogs, com o objetivo de gerar excelentes resultados orgânicos, aumentando o tráfego, a autoridade e melhorando posições nas buscas.

E quem não deseja alcançar cliques gratuitos e ter mais acessos no site, não é mesmo?

Infelizmente, apenas estar presente na internet, com endereço eletrônico (seja site, blog ou e-commerce), não é mais o suficiente para estar na primeira página dos mecanismos de busca.

Na era da transformação digital, o aumento da concorrência é uma realidade inegável.

E, por isso, se torna cada vez mais necessário investir em estratégias específicas para otimizar a página e garantir um bom posicionamento.

Planejando uma estratégia de SEO eficiente

1ºpasso: Definir a persona e o foco do conteúdo

Antes de iniciar qualquer planejamento, é indispensável definir quem é o público com o qual deseja se comunicar.

Mas, uma simples definição de público-alvo ainda é muito amplo e não é mais suficiente quando o assunto é estratégia de marketing digital.

Para resultados mais eficientes é recomendado traçar um perfil mais específico, com representação semi-fictícia do cliente ideal – a persona.

Essa definição permite saber exatamente com quem você está falando e como comunicar o seu conteúdo.

E também torna claro o entendimento de como tais pessoas poderão realizar suas buscas de conteúdo.

Logo, é possível escrever conteúdos direcionados, com palavras-chave apropriadas, que vão permitir alcançar, especificamente, quem tem interesse no assunto que você está abordando.

 2º passo: Pesquisa de palavras-chave

Esse talvez seja o passo mais importante para planejar e executar uma estratégias de SEO.

Para obter tráfego orgânico, é essencial disponibilizar conteúdos relevantes para alguém, seja no blog ou no próprio conteúdo institucional do site.

Mas, ainda assim, esse conteúdo precisa de algo a mais.

O seu conteúdo só será encontrado se forem utilizadas as palavras-chave corretas, aquelas que a sua persona provavelmente vai usar em consulta nos motores de busca.

Seguindo a mesma lógica de assertividade, para obter uma boa taxa de conversão com o tráfego pago, é indispensável utilizar palavras-chave que a sua persona vai buscar.

Por isso, a busca por palavra-chave é peça fundamental no sucesso de toda a estratégia de SEO.

Realizando a busca por palavra-chave

Para definir os termos mais relevantes para o seu negócio é preciso:

  • Conhecer muito bem a persona do negócio;
  • Escolher boas ferramentas de busca de palavras-chave;
  • Fazer uma pesquisa quantitativa e comparativa de algumas palavras-chave para definir as melhores oportunidades;
  • Escolher qual delas tem melhor volume de buscas, mas que não sejam tão genéricas, aumentando as chances de conversão.

Uma vez que você tenha a persona bem definida, é mais simples identificar seus problemas e prever seu comportamento e direcionamento de busca.

A definição de palavras-chave acaba, portanto, servindo também como direcionamento do conteúdo a ser abordado.

3º passo: Análise dos resultados do Google

A fase de planejamento de SEO deve ser bem aproveitada para realizar estudos detalhados.

Uma das necessidades é avaliar a página de resultados do Google para a palavra-chave principal – o SERP (Search Engine Results Page).

Nessa análise, vale observar os 10 primeiros resultados da primeira página, para identificar como tal palavra-chave está sendo trabalhada, e coletar métricas e dados mais superficiais.

4º passo: Análise dos concorrentes

Continuando a análise da primeira página do Google, o foco aqui é observar os concorrentes.

É recomendado identificar como os concorrentes de determinada palavra-chave estão se comportando, analisando informações como a forma de comunicação, como as palavras estão sendo inseridas no conteúdo e no link, por exemplo.

Também vale a pena observar dados como:

  • Erros Onpage, URL amigável, Title Tag e Meta Description;
  • Conteúdo estático ou dinâmico;
  • Tipo de conteúdo;
  • Assiduidade nas redes sociais, quantidade de compartilhamentos, botões de compartilhamento;
  • Distribuição dos textos âncoras;
  • Alguma tática existente que pode ser punida.

Quanto maior for o conhecimento, mais confiança você terá para montar uma estratégia de SEO mais eficiente e focada em resultados.

5º passo: Análise On Page

Depois de analisar o concorrente é hora de “arrumar a casa”, analisando minuciosamente o próprio site.

A análise On Page pode ser a etapa mas demorada, principalmente em sites com muitas páginas, mas é um passo crucial para que as estratégias de SEO gerem resultados.

Nesta fase, tudo que for identificado de problema deve ser melhorado ou corrigido.

É importante observar:

  • URL Canônica ou redirecionamento 301 do site.com.br para o www.site.com.br (ou vice e versa);
  • Sitemap, importante para comunicar ao Google quais páginas estão no site, facilitando a indexação delas;
  • Erros 404, muito comum em páginas do próprio site com link errado ou algum hiperlink que não existe.

6º passo: Análise de Links

A avaliação dos link do site é importante para identificar onde focar, tendo uma boa base  para planejar a estratégia de Link Building.

Vale observar:

  • Quantidade de links;
  • Número de domínios linkando;
  • Texto âncora dos links;
  • Domain Authority;
  • Page Authority;
  • Citation Flow;
  • Trust Flow;
  • Tipos de links (de imagem, textos ou outras formas).

7º passo: Acompanhamento e monitoramento

Depois de pesquisar e planejar a estratégia, siga com sua execução, através da produção de conteúdo e dos links.

De maneira paralela, é fundamental seguir com um acompanhamento constante de resultados e monitoramento de performance.

Isso é parte fundamental para o sucesso de sua estratégia.

Recomendo que você acompanhe as métricas e KPIs de SEO, definidas como relevantes para o negócio, e registre em relatórios para comparação de situações anteriores com a atual.

Esses são os passos essenciais para planejar e executar uma estratégia de SEO eficiente e totalmente focada em resultados.

7 Passos para Planejar uma Estratégia de SEO

Conclusão

Você viu nesse artigo o que é SEO, como essa estratégia é importante para quem busca visibilidade para o seu negócio e como montar uma estratégia de SEO para obter sucesso na internet.

Viu também que todo o processo demanda tempo, pesquisa e análises, mas a concorrência é cada vez maior e sem um planejamento adequado dificilmente seu site aparecerá nas primeiras páginas.

O investimento em SEO é uma estratégia que gera resultados de médio a longo prazo.

Contudo, os resultados e os ganhos são recompensadores, tanto em relação ao posicionamento do site nos mecanismos de busca quanto em relação à taxa de conversão.

Vale observar que o SEO deve ser trabalhado de forma constante, sempre atualizando estratégias para incentivar o aumento dos resultados.

Agora, não basta saber o que é SEO, você precisa colocar em prática tudo o que aprendeu até aqui.

Comece o quanto antes, com o que você já tem em mãos.

Antes de criar o seu conteúdo, faça uma pesquisa de palavras-chave e faça também a otimização dos títulos, da meta-descrição, ajuste o tamanho do conteúdo e de cada parágrafo de acordo com as regras de SEO que você viu aqui.

É muito importante lembrar que o SEO muda o tempo todo e, por isso, você precisa estar sempre atualizado.

O Google está em constante atualização de seus algoritmos e, se você não acompanhar essas mudanças, corre o grande risco de ficar para trás.

E eu aposto que não é isso que você quer, certo?

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *